Estar de personalidade marcante assinado por Max Crovato encanta pelos estofados vintage

Os anos 1970 são uma constante no ambiente do designer de interiores na Mostra Black, em São Paulo

Romulo Fialdini, Divulgação

Deixar fluir a criatividade sem condicionantes talvez seja possível apenas quando um profissional trabalha para si. No caso do designer de interiores Maximiliano Crovato, gaúcho radicado em São Paulo, a oportunidade de usar um conjunto de estofados mais baixo do que o padrão, e ainda trocar o revestimento para veludo cor-de-rosa, veio com a Mostra Black. Na exposição, realizada em São Paulo, Max decidiu satisfazer as suas vontades, desde o teto da Sala do Pavão:

– Eu queria um céu de algodão-doce.

Romulo Fialdini, Divulgação

Depois de dois anos de namoro, testemunhado pelo seu antiquário, com o sofá e as poltronas Soriana, design do casal Afra e Tobia Scarpa, e sem que nenhum cliente topasse a adoção dos estofados,o profissional assumiu as peças, mas trocou o bege pelo veludo rosa. O motivo da escolha do tom? Bem,ele queria trabalhar com uma cor que nunca havia usado em projetos sob encomenda, por ser obviamente relacionada aos universos feminino e infantil.Pois, na sua paleta para a Black, o cor-de-rosa foi determinante no estar. Até as almofadas com estampa liberty, um lançamento feito na exposição, obedecem à proposta e reúnem o leque cromático do ambiente.

Uma escolha evidente de Max que emana do seu universo cotidiano consiste no encerramento do ciclo de inspiração em três períodos ao mesmo tempo: anos 1950, 1960 e 1970, para ficar apenas com a última década.

– É a tônica do meu trabalho agora – ressalta, se referindo à decisão tomada há um ano e meio.

E confirma que adota metais, como o latão, misturados na mesma peça.Isso ocorre nos abajures de pés cromados, combinados a cúpulas com banho de ouro rosa. Valoriza as suas escolhas em acervo de arte e mobiliário o trabalho de uma equipe especializada em iluminação de museu. Cada ponto de luz e lâmpada foram estudados para os 60 metros quadrados,como o destaque para a obra cinética, o seu estilo preferido,criação do argentino Jorge Pereira sobre o bufê. E tudo sobre carpete de pele. Bem 1970.

 

Eduardo Liotti, divulgação

Jardim Contemporâneo da Casa Cor RS conta com vegetação exuberante e forrações verdes

Faro Design, Divulgação

Mesas acessórias ajudam a organizar a casa e a apoiar revistas, livros, copos e pratos