A arquitetura de um charmoso hotel na Espanha, obra do premiado arquiteto Frank Gehry

Gilberto Leal/ZH

Por GILBERTO LEAL

As placas de aço inoxidável e titânio colorido contrastam com o verde das vindimas em uma paisagem futurista, cujos tons variam com a incidência do sol da Espanha durante o dia e da iluminação à noite. São quatro pavimentos revestidos em arenito, ligados por passarelas e elevador panorâmicos com vista para o povoado de Elciego. O Hotel Marqués de Riscal é uma obra de arte do arquiteto canadense naturalizado norte-americano Frank Gehry, autor do Museu Guggenheim, em Bilbao.

O projeto foi iniciado no final dos anos 1990 pela vinícola Marqués de Riscal e resultou na Cidade do Vinho, criada para divulgar a história e o mundo das vinícolas. A arquitetura de Frank Gehry homenageia a região com a ideia de que o edifício surge da terra como uma videira. O trabalho com o uso de concreto combinado a placas de aço inoxidável espelhado e titânio colorido tira partido da luz natural. Essas placas refletem as tonalidades das garrafas dos vinhos Marqués de Riscal: rosa, ouro e prata.

00affb68 frank00affb65

Segue o desenho inconfundível de Gehry no luxuoso interior do prédio, com elevado pé-direito, paredes inclinadas, janelas em zigue-zague e detalhes que transformam a percepção clássica de hotel e as suas instalações viram obra de arte. No primeiro andar do prédio principal ficam 14 apartamentos; no segundo, restaurante; no terceiro, área de estar com biblioteca; e, no quarto, terraço e bar. Nos 3,7 mil metros quadrados do anexo ficam os demais apartamentos, spa de vinoterapia, academia, piscinas e sauna.

As acomodações, em quatro categorias, foram projetadas por Gehry em áreas de 27 a 83 metros quadrados. São apartamentos, estúdios e suítes que têm sacada com vista panorâmica, cama big size, poltronas e banheiro de mármore com banheira separada da ducha.

Gilberto Leal/ZH

Gilberto Leal/ZH

O Marqués de Riscal é um oásis entre colinas, vinhedos e cantinas, como a que originou o hotel, em 1858. Depois de acompanhar as fases da produção de vinho, percorrer as câmeras de envelhecimento e os depósitos que guardam oito milhões de garrafas, fazer um passeio de bicicleta ou piquenique, chega a hora de aproveitar o restaurante e bistrô. O Marqués de Riscal 1860 conta com uma seleção de vinhos premiados e o melhor da cozinha basca-riojana tradicional, combinada a influências atuais de chefs incensados pelo Guia Michelin. Wine Bar Vinoteca, lounge, biblioteca e bar na cobertura com vista panorâmica fecham a proposta.

00affb61

Divulgação

Loja em Porto Alegre para quem ama chocolate tem decoração pop e colorida

Eleone Prestes/ZH

Harmonia de pedras: tendências e soluções para ambientes rústicos