Piscina biológica é opção de requinte para quem quer se aproximar da natureza em casa

Foto: Marco Moscarelli/ Divulgação
Foto: Marco Moscarelli/ Divulgação

Lagos de água cristalina com peixes coloridos não são encontrados apenas em paisagens paradisíacas inacessíveis. No quintal de casa, há espaço para piscinas naturais que enchem os olhos: à primeira vista, nem parece que foram feitas pelo homem.

Foto: Eduardo Beleske/ Divulgação

Peixes coloridos (detalhe abaixo) se destacam na piscina cristalina com fundo de areia no empreendimento pelotense. Foto: Eduardo Beleske/ Divulgação

Foto: Marco Moscarelli/ Divulgação

Foto: Marco Moscarelli/ Divulgação

Em Pelotas, o arquiteto João Pedro Drummond de Mello optou pela piscina biológica, no formato de praia, para o projeto do clube do Condomínio Veredas, empreendimento da Idealiza Urbanismo, com 1.086 metros quadrados de área construída. O espaço foi pensado de forma integrada, com um extenso deque de madeira entre o local de banho e a área interna, além de portas de vidro de correr. Ambientes como a academia e o lounge ficaram propositalmente de frente para a paisagem, que une uma piscina tradicional a uma biológica.

– Tinha que ter uma pegada ecológica e também contemporânea. Na construção, usei bastante madeira e aço corten. Pensei em trazer um atrativo natural com essa segunda piscina, biológica, e também dar mais uma opção de lazer aos moradores – conta o arquiteto.

Como é feita

A praia biológica do clube tem área de cerca de mil metros quadrados, com fundo e borda de areia, e 1m20cm de profundidade. No solo, o mais comum nas piscinas naturais é o sistema desta: uma manta emborrachada impermeável, que recebe o revestimento em camadas, com pedras, pedregulhos e areia. O sistema é livre de produtos químicos: lâmpadas ultravioletas funcionam como esterilizadores, eliminando bactérias.

– A piscina não agride a pele e não tem contraindicação. É também um corredor de fauna e fica mais integrada ao paisagismo – ressalta Guy Retz Godoy dos Santos, sócio da empresa paulista Ecosys Lagos Ornamentais, responsável por essa piscina do Veredas.

Canos e máquinas da estrutura são integrados ao espaço com discrição, embaixo do deque, como qualquer outra. Sua manutenção é anual e pode ser feita pelo dono.

Foto: Ecosys/ Divulgação

Por serem balneáveis, as piscinas naturais são projetadas com fácil acesso. Na residência acima, o entorno é decorado com pedras, mas há um corrimão e degraus. Já na piscina seguinte, a opção foi usar uma borda limpa, para facilitar a entrada ao usuário. Ambas são de casas localizadas em São Paulo. Foto: Ecosys/ Divulgação.

Foto: Ecosys/ Divulgação

Foto: Ecosys/ Divulgação

Foto: Eduardo Beleske/ Divulgação

Foto: Eduardo Beleske/ Divulgação

 

Foto: Eduardo Beleske/ Divulgação

Foto: Eduardo Beleske/ Divulgação

Foto: Eduardo Beleske/ Divulgação

Foto: Eduardo Beleske/ Divulgação

Foto: Eduardo Beleske/ Divulgação

Foto: Eduardo Beleske/ Divulgação

Foto: Eduardo Beleske/ Divulgação

Foto: Eduardo Beleske/ Divulgação

Foto: Eduardo Beleske/ Divulgação

Foto: Eduardo Beleske/ Divulgação

Foto: Marco Moscarelli/ Divulgação

Foto: Marco Moscarelli/ Divulgação

Foto: Ecosys/ Divulgação

Foto: Ecosys/ Divulgação

Foto: Ecosys/ Divulgação

Foto: Ecosys/ Divulgação

Foto: Romulo Fialdini/ Divulgação

Apartamento em São Paulo é distribuído entre o térreo e o sétimo andar

Foto: Juan Guerra/Divulgação

Coluna Em Casa, por Eleone Prestes