Projeto de loft explora a vista privilegiada do espaço e a vocação para o décor com a mescla de tons sóbrios, design e detalhes despojados

Foto: Eduardo Aigner/ Divulgação
Foto: Eduardo Aigner/ Divulgação

A vista do nono andar invade um loft no bairro Moinhos de Vento, em Porto Alegre, sem pedir licença. É quase uma imposição: o pano de vidro se estende por praticamente toda a altura do pé-direito de cerca de cinco metros. Se as peculiariedades da arquitetura às vezes geram dor de cabeça na decoração, neste caso o arquiteto Claudio Resmini encarou a planta como uma dádiva.

– Agradeci pela grande janela existir. Dá uma sensação diferente no lugar – diz o profissional do Estúdio Claudio Resmini.

Foto: Eduardo Aigner/ Divulgação

Aos pés do sofá ocre, disposto em diagonal, está um tapete de couro bovino no recanto que compõe o ambiente da área social. A sala ainda conta com uma cadeira estruturada em madeira,com design de Jader Almeida, e a estante funcional conjugada com a escada, ao fundo. A iluminação de LED, embutida no teto, traz a sensação de aconchego, para harmonizar o clima industrial com o desejável conforto. Chamam atenção os quadros encostados na estante e na parede abaixo do janelão, diferentemente das obras junto à cozinha e à área íntima. Tudo contribui para o ar despojada do loft sem perder a elegância. Foto: Eduardo Aigner/ Divulgação

Para se adaptar à rotina de uma jovem executiva, o duplex de 68 metros quadrados sofreu mudanças que privilegiam o entorno. O conceito de integração levou à retirada de uma parede, para a criação de mais uma área vazada no mezanino. A fim de desfrutar da amplitude, foi disposto um pano de vidro em substituição da parte da alvenaria divisória do quarto. Também foi retirada a escada metálica, trocada por uma estrutura de madeira conjugada à estante de louro-freijó no estar.

– Agora, se pode ter acesso à vista principal de todos os espaços – conta.

Foto: Eduardo Aigner/ Divulgação

Uma banheira de imersão ganha espaço no closet de armários espelhados, revestimento que duplica a vista externa. No banheiro da suíte, o tom coral dos azulejos contrasta com o granito preto do piso e da cuba. Na cozinha e na sala há contraste entre a laca bordô dos armários, a madeira louro-freijó da parte inferior da bancada e o silestone cinza das áreas de trabalho. Foto: Eduardo Aigner/ Divulgação

O primeiro andar tem clima industrial, com o uso de cimento tecnológico. Os tons são sóbrios: branco, cinza, amadeirados e vinho. Um dos destaques da sala é o sofá Mole, em ocre, obra icônica de Sergio Rodrigues. No segundo piso, impera o design clean. O despojamento vem nos detalhes: de uma cabeceira pouco usual a uma banheira no meio do mezanino, aproveitando a paisagem.

Foto: Eduardo Aigner/ Divulgação

Foto: Eduardo Aigner/ Divulgação

Foto: Eduardo Aigner/ Divulgação

Foto: Eduardo Aigner/ Divulgação

Foto: Eduardo Aigner/ Divulgação

Foto: Eduardo Aigner/ Divulgação

Foto: Eduardo Aigner/ Divulgação

Foto: Eduardo Aigner/ Divulgação

Foto: Eduardo Aigner/ Divulgação

Foto: Eduardo Aigner/ Divulgação

 

Foto: Eleone Prestes

Graziela Dias cria peças únicas funcionais e ornamentais com o uso de pedras aplicadas como joias a pequenos móveis e acessórios

Foto: Omar Freitas

A arquitetura de Isay Weinfeld pousada em uma esquina de Porto Alegre, o Instituto Ling, recebeu o seu criador