Henrique Steyer comenta o ousado estilo do arquiteto americano Peter Marino

Imagem: reprodução

Se alguém ainda pensa que Miami é sinônimo de praia e curtição sem conteúdo é hora de repensar os conceitos. A cidade vem a cada ano se firmando mais como um centro de negócios e cultura. Na semana de arte e design, que acontece tradicionalmente no início do mês de dezembro, experts no assunto oriundos dos quatro cantos do planeta circularam por lá em busca de novas referências da famosa Art Basel.Em meio a tanta coisa interessante exibida pela cidade, o arquiteto norte-americano Peter Marino conseguiu se destacar e causar o frisson já inerente à sua personalidade. Aquela figura fácil de reconhecer, ornamentada com roupas de couro justas ao corpo, óculos e chapéu de policial não decepcionou e levou até a Flórida grande parte do seu acervo pessoal de obras de arte e mobiliário para uma exibição sem precedentes.

:: Casa&Cia Decora: quer um projeto personalizado gastando pouco? Veja a proposta do Decora

Foi o Bass Museum of Art que apresentou a exposição One Way, revelando um panorama da personalidade do multifacetado e interdisciplinar profissional que transita com maestria na tênue intersecção entre arte, arquitetura, moda e design. Em seu currículo, estão projetos para grandes marcas como Chanel, Louis Vuitton, Dior e Ermenegildo Zegna. Com curadoria de Jérôme Sans, a exibição contou com obras de artistas como Richard Serra e Andy Warhol, expostas em espaços projetados pelo próprio Marino, que ainda criou obras exclusivas para o evento e um projeto para a fachada do museu que impressionava a todos. Fotos de nudez e muito apelo sadomasoquista deram o tom da mostra, tão incrível quanto o seu autor.

:: Casa&Cia Shopping: compre móveis sem sair de casa > Conheça nossa loja virtual

MANOLO YLLERA, DIVULGAÇÃOFashion: visual usado por Peter chama a atenção

 

AMERICANO EXECUTOU PROJETO DE INTERIORES POLÊMICO NO BRASIL

No Brasil, Peter assinou a decoração da mansão cinematográfica do polêmico ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira, em São Paulo. Na época, a casa gerou frenesi e foi manchete em diversos veículos da mídia por conter uma coleção inimaginável de obras de arte e antiguidades dignas dos melhores museus do mundo.

Na festa privê de pré-lançamento da mostra em Miami, presenciei Peter Marino tendo uma espécie de ataque de estrelismo, um tanto alterado, aos gritos com algumas pessoas que o acompanhavam no evento. Assisti à cena de perto, mas não posso afirmar o que realmente estava acontecendo. Talvez fosse apenas uma encenação ou uma cruel amostragem cotidiana da realidade de um mito. Mas quer saber? Ele pode!

MAGGIE NIMKIN, DIVULGAÇÃOA vez das texturas: caixa de bronze desenhada por Peter Marino exposta em espaço com paredes revestidas em couro

ALEX TAKAKI, DIVULGAÇÃO

Coluna do Abreu Jr: O caminho de volta: feliz ano-novo Florianópolis

FOTOS: ADRIANA NEVES , DIVULGAÇÃO

Seleção afinada: coleção de fotografias confere personalidade a espaço