Semana da Casa

Fotos Eleone Prestes Fotos Eleone Prestes

Porto Alegre tem tido inaugurações e coquetéis comemorativos de novas lojas, o que demonstra que este mercado está em movimento, apesar da inegável crise que inclusive é econômica por que passa o Brasil. Eu sei que as grandes decisões são tomadas a médio prazo e que, portanto, a maioria dos pontos de venda sendo abertos agora são resultado de definições anteriores ao olho do furacão. Contudo, eu penso que as empresas/negócios que se esconderem hoje despencarão ladeira abaixo e as que se mantiverem em movimento, à tona, quando a situação geral melhorar darão um salto em relação às demais, se é que estas já não terão desaparecido.

Estive com o casal fundador da Tok & Stok, Régis e Ghislaine Dubrule, dentro da nova Tok & Stok Compact (que de pequena não tem nada: 1,1 mil metros quadrados de loja com produtos bacanas) na área da expansão do Shopping Iguatemi, em Porto Alegre, aberta nesta quarta-feira de manhã para convidados (foto de abertura deste post). Ele também tem essa percepção de que é preciso ir em frente. Conheci (ou reconheci, não tenho certeza) o filho – primogênito de cinco – Paul, responsável pela expansão da rede que vai continuar ocorrendo, mas com uma velocidade menor do que a prevista pelo menos a curto prazo. Paul lembra dos tempos de criança em que os pais trabalhavam tanto que ele chegou a dormir na vitrina de uma das lojas. A família é incrível e Ghislaine, como grande parte das francesas, é elegantérrima e magérrima. E Régis, uma simpatia. Lembro que entrevistei o casal em 1990, no restaurante Il Gato Pardo (será que tem o Il?) quando estava sendo aberta a Tok & Stok na Rua 24 de Outubro.

Zara Home

Zara Home

Bem, outras lojas de décor & cia. também entraram expansão do hopping Iguatemi em Porto Alegre. A Zara Home deu o ar da sua graça em Porto Alegre, na frente da outra Zara já conhecida dos gaúchos. Sugiro prestar atenção na setorização por cores: cinza, azul, branco, toques de cor como amarelo, etc. Duvido que alguém saia de uma dessas lojas – Zara ou Tok & Stok – sem uma sacolinha.

Nessa área home nova, tem ainda a Riachuelo Casa, com produtos a preços competitivos que valem uma investigação já nesta primeira semana. Isso para ver o que comprar em cada uma. O mix do Iguatemi conta ainda com a Camicado, que amplia a linha em relação às anteriores, chegando até às panelas, e mais a deliciosa Alfaias e a M Martan, com uma coleção que inclui os produtos como os tradicionais Casa Moysés.

Riachuelo Casa

Riachuelo Casa

Bem, em lojas de rua, a EXS, de equipamentos para cozinha e gourmeteria celebrou seus 20 anos em loja nova, na Avenida Berlim, e a Vértice Iluminação apresentou a casa mais nova ainda na Avenida Paraná. Mais à Leste, a Import Plus recebeu a Tidelli na sua loja na Rua Ijuí, em um casamento aberto, em que cada marca tem a sua vida própria e não disputa beleza. Tem espaço para ambas, com a expansão para os fundos do espaço que também tem a contemporânea cara de galpão, como as duas anteriores.

Você também vai gostar

Brazil em Milano

FAchada da Universita degli studi di Milano

Os brasileiros este ano estarão dentro do Salone e na programação FuoriSalone – a maioria dentro da universidade estatal que fica pertinho da Duomo, a catedral de Milão, de onde é possível ia a pé. Lá, a nossa grande exposição, a Brazil S/A, na sétima edição, com o tema Brasilidade para todos, ocorre no mesmo local do ano passado, a tradicional Università Degli Studi di Milano. Dentro do Salão Internacional do Móvel de Milão tem mais brasileiros entre a mostra principal, o Salone, a Eurocucina e o Salão Satélite.

Em cerca uma área de cerca de 600 metros quadrados,  com um Lounge VIP projetado por Piuarch, um dos principais escritórios de arquitetura da Itália, criado em 1996, e que ganhou o prêmio Architetto Italiano em 2013. Dolce&Gabbana, Gucci, Givenchy, Kering e Gazprom são seus clientes, mas o escritório concentra-se na qualidade ambiental, cultural, econômica, social e artística, e considera cada referência como elemento para criar uma nova visão arquitetônica.

Nesta edição, o evento traz as influências inerentes de um país multicultural que respira criatividade, transita do artesanato até a alta tecnologia, tem ilhas de excelência reconhecidas internacionalmente, mas é ainda pouco divulgado em sua plenitude. Para o lounge, o Piuarch decidiu homenagear o modernismo brasileiro e o célebre edifício Copan, de Niemeyer, que festeja 50 anos de história.

O tema brasilidade para todos objetiva transmitir o significado do que é ser brasileiro através da criatividade dos designers, desde profissionais consagrados até jovens talentos com diferentes olhares para a inovação, praticidade, simplicidade e luxo.

– Queremos focar a apresentação dos produtos como uma janela aberta para o mundo brasileiro, proporcionando assim, não apenas o acesso e exposição do design, mas também da nossa cultura – explica o fundador do Brazil S/A, José Roberto Moreira do Valle.

Para tal, foram selecionados cerca de 40 profissionais brasileiros, entre designers e arquitetos, que integrarão a exposição 100% Brasil. Nesta edição, o público poderá conferir também as marcas de cerâmica e porcelanato vencedoras do prêmio Best In Show, promovido pela ExpoRevestir.

A MACTALENTS, primeira agência de design scout das Américas, também marcará presença no Brazil S/A com a exposição SUPERMARKET. O projeto, sob curadoria de Rodrigo Almeida, celebra e impulsiona um aspecto do design brasileiro muitas vezes esquecido, o design gráfico e de embalagens. Para tal, traz cartazes dos designers Ana Neute, André Poli, Bianca Barbato, Bruno Faucz, Bruno Simões, Estevão Toledo, Guilherme Wentz, Léo Capote, Marcelo Caruso, Rahyja Afrange, Rodrigo Ambrósio, Ronald Scliar Sasson e das duplas Outra Oficina, Pax.Arq, Studiopata e 80e8, representando brainstorming criativo sobre as novas formas de se produzir e consumir produtos e ideias brasileiras de forma contemporânea e internacional.

PROFISSIONAIS PARTICIPANTES:

Andrea Zanocchi & Carolina Starke (Zanocchi e Starke), Bruna Kim e Daniel Faria (Cavilha Design), Niccolò Adolini e Daniel Simonini (Adolini e Simonini), Adriana Fortunato, Aciole Felix (Studio Aciole Felix), Alê Jordão, Andrea Macruz (Nolii), Andrea Bandoni, Ângelo Duvoisin, Arthur Casas (Studio Arthur Casas), Bruno Faucz, Claudia Spina, Carol Gay, Dimitrih Correa, Diogo Tomazzi, Mariana Bettig e Roberto Hercowitz (Em2 Design), Fabíola Bergamo, Flavio Borsato e Mauricio Lamosa (estudiobola), Camila Fix e Flavia Pagotti Silva (Fixtti), Henrique Steyer (Albus), Ines Schertel (Slow Design), Jader Almeida, Leandro Garcia (Leandro Garcia Arquitetura e Design), Lorena Genovez, Marina Ricardo (Maric Design), Noemi Saga (Nomina Design), Olavo Machado Neto (Cucampre), Paola Crosso, Rejane Carvalho Leite (Rejane Carvalho Leite Studio Design), Renata Meirelles, Ricardo Graham, Rona Carapana (Carapana Design), Ronald Scliar Sasson, Roberta Rampazzo (Roberta Rampazzo Design), Sergio Matos, Sisha Kesin e Samantha Andreola Colognese.

 Serviço

Quando: 11 a 17 de abril de 2016, das 10h às 24h

Onde: Università Degli Studi di Milano – Universidade de Milão, Via Festa del Perdono, 7, 20122 Milano, Itália – +39 02 503111

brazilsa.com.br

(Dados do material enviado por Mariana Amaral Comunicação/Foto Eleone Prestes)

Você também vai gostar

Jean Nouvel dá entrevista nesta quinta, em São Paulo

Rosewood hotel London

Estou ansiosa para conhecer ao vivo e a cores o arquiteto Jean Nouvel. São dele projetos de arquitetura contemporânea como a Fundação Cartier em Paris e a Serpentine Gallery em Londres. Amanhã será o dia de falar com ele e visitar a SP Arte que pela primeira vez terá um andar de design. Ele vai assinar um super hotel Rosewood em São Paulo, na área onde fica o Hospital Matarazzo, que eu fotografei quando estive em uma exposição de arte incrível lá. Espia o post em bit.ly/matarazzorosewwodsp

Hospital Matarazzo em São Paulo, foto Eleone PrestesEnquanto não temos o hotel Rosewood de Jean Nouvel erguido, vamos nos deliciar um pouco com o Rosewood London (fotos Divulgação). E sexta tem palestra com Nouvel. Delícia. Na sequência, domingo, embarco para Milano, para respirar o lifestyle do outro lado do oceano. Depois conto tudo. Ah, sim, e tiro férias, na companhia da designer de superfície Mariana Prestes. A propósito, achei lindo esse design de superfície das divisórias transparentes do hotel em Londres.

Rosewood hotel London

E preciso dizer ainda que amanhã, às 17h, fui convidada para um encontro no estande da marca Ovo e uma visita guiada pela SP Arte com o curador e designer da MACTALENTS Rodrigo Almeida. Coisa da Mariana Amaral, com Mekal e Interbagno. Estou curiosa para ver a obra do Hugo França e do pessoal da Galeria Mamute. E da Bolsa de Arte. Quanta coisa para dois dias! Vou me sentir correndo nas esteiras do Rosewood.

Rosewood hotel London

 

 

Décor em tricô

Luminária e quadro de Rosa Maria Home Decor de Garibaldi mostrados na Abup Móvel 2016

Rosa Maria Home Decor é uma marca de Gabribaldi marcada pelo uso de tricô em suas criações para a casa. Eu encontrei a Rosa Maria Meneghini em pessoa na Abup Móvel, feira para profissionais realizada em São Paulo na primeira temporada de lançamentos de 2016 para o mercado de decoração. Eu havia ficado encantada pelas luminárias com pantalhas de tricô, mas descobri que havia móveis com a marca do aconchego e também quadros. Então, muito além das cúpulas artesanais, há reproduções em preto e branco para compor ambientes. Quem escolhe as imagens é a filha Nátali e o pai de Rosa Maria aos 82 anos faz molduras, mostrando de onde a filha herdou a veia criativa.

Luminária e quadro de Rosa Maria Home Decor de Garibaldi mostrados na Abup Móvel 2016

Luminária e quadro by Rosa Maria

Os santos são lindos. Rosa Maria customiza as peças com um carinho que vai além do negócio. É praticamente uma troca de bênçãos. Essas peças fazem parte da sua história, porque na família uma negócio começou com a confecção de santos e ela pintava o rosto de anjos.

Santo da grife Rosa Maria Home Decor de Garibaldi

São Francisco customizado pelo tricô de Rosa Maria

(fotos Eleone Prestes)

Agenda em Milão

ELEONE FOTOGRAFANDO no Salone de Milano Já estou me sentindo no Salone

Se você vai a Milão durante a Milano Design Week 2016 e quer conferir todas as bacanices que estarão lá, deixa esta lista junto com o passaporte. Eu já estou fazendo ginásticas mentais para decidir a ordem do programa a cumprir nas minhas férias milanesas. Anota aí:

PROJETO RAIZ
Criado pelo Sindmóveis Bento Gonçalves em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), o Projeto RAIZ promove mundialmente os serviços desenvolvidos por designers brasileiros de móveis. Este ano, o Projeto reúne todas as atividades brasileiras em Milão.

DESIGN DO BRASIL NA MILAN DESIGN WEEK 2016
COMPILAÇÃO PATROCINADA PELO PROJETO RAIZ PROJECT E APEXBRASIL
SALONE DEL MOBILE DE MILANO
De 12 a 17 de abril / 9h30-18h30
Milan Fairgrounds, Rho Fiera

BRAZILIAN FURNITURE – PROJETO DA ABIMOVEL (www.abimovel.com e www.brazilianfurniture.org.br)
Empresas de móveis de categoria mundial mostram seus lançamentos.
VISITE no Salone del Mobile estes pavilhões e estandes:
A LOT OF BRASIL/ Pav.20 / B05
ARTEFAMA / Pav.6 / F50
BUTZKE / Pav. 6 / F48
– LOUIS KAZAN / Pav.6 / F52

Atividades paralelas:
Coquetel com consulado Brasileiro em Milão e líderes da indústria
Seminário Internacional: A Indústria Brasileira de Móveis

DESIGNERS DO BRAZILIAN FURNITURE – PROJETO RAIZ (info@projetoraiz.com.br)
Designers premiados lançam suas coleções.
VISITE no Salone del Mobile:
Pavilhão 12/estande F16
GUTO INDIO DA COSTA
JADER ALMEIDA
MARTA MANENTE
MACTALENTS/BRUNO FAUCZ
MACTALENTS/RONALD SCLIAR SASSON
Estúdio Bola no PROJETO RAIZ

Exposição de móveis de alto padrão desenvolvidos por Estudiobola, Juliana Llussá, Paulo Alves e Sérgio Fahrer
VISITE no Salone del Mobile o Pavilhão 12 / Estande F16 (info: www.estudiobola.com)

GUSTAVO MARTINI – O designer expõe sua linha EDGE
VISITE no Salone del Mobile o Salone Satellite/ Estande C6 (info: www.gustavomartini.com)

Interni-UniversidadeDSC_1007

FUORI SALONE
De 11 a 17 de abril
Confira abaixo diferentes lugares, datas e horários:

BRAZIL S/A 2016 _70 Edição da maior exposição brasileira no Fuori Salone com até 40 designers brasileiros e outras atrações
INFO/VISITE: Apr 11-17 # 10h-24h #
Università Degli Studi di Milano – Brazil S/A Pavilion (@ www.brazilsa.com.br)

DW! SAO PAULO DESIGN WEEKEND
Lançamento da quinta edição do principal festival Latino-americano, que será realizado em agosto próximo
INFO/VISITE: de 11 a 17 de abril # 11h-19h #
Università Degli Studi di Milano – Brazil S/A @ www.designweekend.com.br

CERÂMICAS DO BRASIL – BEST IN SHOW EXPO REVESTIR
Exposição de azulejos de cerâmica e louças sanitárias lançadas em março na Expo Revestir, promovido pelo ANFACER
INFO/VISITE: de 11 a17 de abril # 10h-24h #
Università Degli Studi di Milano – Brazil S/A (@ www.ceramicsofbrasil.com)

HIGH DESIGN – HOME AND OFFICE EXPO
Lançamento internacional de móveis de classe alta e feira de design que será realizado em agosto em São Paulo
INFO/VISITE: de 11 a 15 de abril # 11h-19h #
Università Degli Studi Milano – Brazil S/A (@ www.highdesignexpo.com)

BRAZILIAN FURNITURE DESIGNERS – PROJETO RAIZ
Promoção Internacional de Designers Brsileiros de Móveis
INFO/VISITE: de 11 a 17 de abril # 10h-24h #
Università Degli Studi Milano – Brazil S/A Pavilion (@ www.brazilsa.com.br)

EDIÇÃO DO PRÊMIO SALAO DESIGN EM 2017
O maior prêmio de design da América Latina abre suas inscrições em outubro
INFO/VISITE: de 11 a 17 de abril # 10h-24h #
Università Degli Studi di Milano – Brazil S/A Pavilion (@ www.salaodesign.com.br)

8TH RIO + DESIGN MILAN
Vitrine internacional da produção de design contemporâneo no Rio de Janeiro com até 20 profissionais
INFO/VISITE: de 12 a17 de abril # 10h-20h #
Via Tortona 31, Spazio Opificio 31, Officine 1 (@ www.riomaisdesign.com.br)

SOLLOS.jaderalmeida – Designer premiado Jader Almeida e SOLLOS apresentam a exposição BOAS NOTÍCIAS DO BRASIL
INFO/VISITE: 12 a 17 de abril # 10h-20h #
Via Giuseppe Sacchi, 5 – Brera (@ www.sollos.ind.br)

Você também vai gostar

Artesanato, design e arte

Artesanato exposto na mostra Origem Vegetal no CRAB do Sebrae, no Rio de Janeiro, com curadoria de Adélia Borges

No recém-inaugurado Centro Sebrae de Referência do Artesanato Brasileiro (CRAB), na Praça Tiradentes, no Rio de Janeiro, a curadora Adélia Borges mapeou a produção nacional a partir da matéria-prima e criou a exposição Origem Vegetal, uma sequência de salas expositivas ora com instalações formadas pelos produtos feitos à mão, ora com peças mostradas com a solenidade de um museu.

A comemorar, a criação de um reduto para o Brasil reconhecer os seus talentos regionais e estimular a manutenção desses trabalhos vivos em suas comunidades. Claro que nem tudo produzido no país está ali, mas a curadora conseguiu dar um panorama bacana a partir dos materiais usados na confecção de objetos de uso pessoal e para a casa, ornamentais ou funcionais.

Aqui vai uma parte da nossa riqueza de Origem Vegetal em fotos feitas por mim, no Rio de Janeiro, onde fui conhecer em primeira mão o CRAB a convite do Sebrae. Apesar de ser no Rio, a iniciativa louvável é do Sebrae nacional.

Visita com os curadores da mostra Origem Vegetal no CRAB

Adélia Borges acompanhou o grupo de jornalistas pelas salas expositivas do Centro de Referência do Artesanato Brasileiro no Rio

Projeto que teve a participação de Heloisa Crocco

Projeto que teve a participação de Heloisa Crocco

Projeto com a participação de Tina e Lui

Projeto com a participação de Tina e Lui

Folhas de látex para decorar

Da borracha, há estas folhas para usar na decoração e calçados de uso pessoal

Obra de Véio exposta no Rio

Obra de Véio exposta no Rio

Criado-mudo criado pelos irmãos Campana em exposição no Rio

Criado-mudo dos irmãos Campana dentro da mostra Origem Vegetal

Artesanato gaúcho de Bento Gonçalves, Cantina Benta

Artesanato gaúcho de Bento Gonçalves, do projeto Cantina Benta

Pássaros da mostra Origem Vegetal

A exposição de muitos pássaros é impressionante

A área expositiva das bolsas é uma das mais lindas da mostra Origem Vegetal, pelas peças e pelo impacto que causam, como os bichos

A área expositiva das bolsas é uma das mais lindas da mostra Origem Vegetal, pelas peças e pelo impacto que causam, como os bichos

Arraias de madeira parecem se mover

Arraias de madeira parecem se mover

Até artigos de tramas de algodão fazem parte da mostra no CRAB

Até artigos de tramas de algodão fazem parte da mostra no CRAB

Bichos de reaproveitamento de sucata

Bichos de reaproveitamento de sucata

Você também vai gostar

Movelsul em detalhe

Cozinha Morata mostrada na Movelsul 2016

Dois exemplos de marcas que participaram da recente feira Movelsul, realizada em Bento Gonçalves:  o primeiro é a Morata, com o uso de cores pontuais no mobiliário de cozinha com área de refeições, a grande tendência para a casa, que une a família e os amigos com quem está preparando a comida:

Cozinha Morata mostrada na Movelsul 2016

Cozinha Morata mostrada na Movelsul 2016

 

A segunda é a Carraro, com uma solução para pequenos espaços. Observe desde a pintura da parede, pensada para valorizar o recanto:

Solução para pequenos espaços pela Carraro mostrada na Movelsul 2016

Organização com estilo é a proposta da Carraro

 

Solução para pequenos espaços pela Carraro mostrada na Movelsul 2016

Veja como funciona

 

Solução para pequenos espaços pela Carraro mostrada na Movelsul 2016

Quando ninguém está usando, a circulação fica liberada

As duas fábricas de Bento Gonçalves expuseram mobiliário de 14 a 18 de março na sua cidade durante a vigésima edição da Movelsul, que teve outras empresas como Madesa, Herval, Artefama e Prima Design, esta da Cátia Scarton, grife que mantém a sua identidade, desta vez com peças de um estúdio do Uruguai, o Menini Nicola:

Móveis Prima Design na Movelsul

Linha Varetas, inspirada na décado de 1950, tem a assinatura de Menini Nicola para a Prima Design, de Bento Gonçalves

Jader Almeida para todos os espaços

Móveis com design de Jader Almeida expostos em São Paulo com lançamentos 2016

Entre os lançamentos 2016 de Jader Almeida, produzidos pela Sollos, a mesa Vinte pode representar as mesas de apoio que literalmente cabem em qualquer espaço, de grandes ou pequenas dimensões, combinadas a móveis de madeira, metal, vidro, pedra e estofados. Mesmo que o ambiente seja montado apenas com a linha de Jader, não há o menor risco de gerar uma atmosfera previsível tal a variedade de acabamentos e produtos que a coleção alcançou este ano.

Eu passei a quarta-feira passada em São Paulo, junto com a Mariella Stock, da Maiora Design Furniture, com um grupo de arquitetos convidados quando tive o prazer de penetrar nesse universo de mobiliário e luminárias deslumbrantes para uso pendente, em paredes, pisos e sobre móveis. Era a sua exposição Boas Novas. De fato.

Nas fotos abaixo, enquanto o Alexandre Maydana gentilmente me acompanhava e mostrava a versatilidade dos produtos, eu “roubei” estas fotos para compartilhar com você. Nesta semana, mostro em Casa&Cia e no casaecia.com mais fotos do preview da coleção 2016 e os dessobramentos do mobiliário preexistente de Jader Almeida, que está desembarcando mais uma vez em Milão para mostrar a sua obra durante a Milano Design Week, desta vez em espaço em Brera.

Mesa de Jader Almeida coleção 2016

Mesa Vinte da coleção 2016 de Jader Almeida sendo fechada

A mesa Vinte fecha como uma caixa, conforme mostra Alexandre Maydana, da área de design e comunicação da empresa Sollos

14ª Expo Revestir

Estande da Docol na Expo Revestir 2016, foto Eleone Prestes

Texturas, cores e formas em uma feira de revestimentos e equipamentos para banheiro e cozinha com movimento que parecia deixar a crise econômica ao largo fizeram bonito na 14ª Expo Revestir, realizada no Transamérica Expo Center, em São Paulo, de 1º a 4 de março, sexta-feira. Passaram por lá mais de 63 mil profissionais e público internacional recorde.

Fui a São Paulo a convite da Portobello Shop, que fechou a Cinemateca Brasileira para um evento bacana que antecipou os lançamentos e ainda ofereceu uma programação com um conteúdo interessante que enfocou aspectos de dimensão macro e levou os participantes a ampliarem sua visão para pensar as cidades.

Entre os produtos que os visitantes conheceram na super feira Expo Revestir, no Expo Center, aqui vão alguns. (Ressalto que o revestimento bico de jaca é criação da equipe de design da Pointer (do grupo Portobello) e não da dupla Rosenbaum e Biacchi, como está no Casa&Cia desta quarta. Falha nossa. Desculpa).

Pela ordem das fotos, os azuiz e verdes da Atlas que pareciam escorrer pelas paredes, os azulejos gracinhas criados pela equipe da Pointer (bico de jaca azul) e as obras de Marcelo Rosenbaum com Paulo Biacchi (O Fetiche) para a Pointer (bicolores) e mais as criações de Renata Rubim e Nicole Tomazi para a Doka, que antes era conhecida por suas banheiras e agora ampliou suas criações para mesas, aparadores para cubas, cabides e espelhos para banheiro. (Fotos by Eleone Prestes)

Revestimentos Atlas na Expo Revestir

Revestimentos da Pointer por Marcelo Rosenbaum e Paulo Biacchi

Revestimentos da Pointer por Marcelo Rosenbaum e Paulo Biacchi

Revestimentos da Pointer por Marcelo Rosenbaum e Paulo Biacchi

Espelho Doka na Expo Revestir

Por que a cerâmica artesanal é a paixão do momento?

Ceramista norte-americano Forrest Lewinger

Tim Mckeough

Nova York – Feitos à mão, os pequenos jogos de cerâmica estão por todos os cantos. Você os vê em lojas da moda como a Primary Essentials (foto abaixo), no Brooklyn, e a Still House, em Manhattan, artisticamente dispostos em vitrines e prateleiras como ícones do bom gosto. Podem ser encontrados nas páginas estilosas da Kinfolk, da Apartamento e de outras revistas badaladas, muitas vezes emparelhados com tábuas de cozinha em formatos orgânicos e suculentas em vasos manchados pelo sol. A Vogue chegou a dedicar duas páginas de uma edição a uma nova onda de ceramistas independentes.
Para alguns integrantes criativos da geração Y, a cerâmica substitui joias e móveis de madeira recuperada como o ofício do momento. Muitos têm acesso aos melhores fornos, vistos como um símbolo de status elogiado no Pinterest e no Instagram.
– Há uma beleza na imperfeição e nos itens que são realmente feitos à mão – disse o estilista Steven Alan, que enche suas boutiques com cerâmica americana e japonesa com textura e em tons neutros.
Terrários, luminárias com lâmpadas Edison e bicicletas sem marchas tiveram seus momentos de glória, mas os pequenos conjuntos de cerâmica artesanal de repente se tornaram o acessório do momento. Assim como as tendências anteriores, representando um contraponto tangível e simples ao nosso mundo acelerado, centrado em tecnologia, a rejeição à mesmice da produção de louças e vasos em série reflete o desejo de voltar para algo mais essencial.
Queremos saber de onde vêm os ovos que consumimos e onde nosso café é cultivado e torrado. Também queremos que os recipientes que usamos para consumir essas coisas incorporem uma história mais profunda sobre habilidade e criatividade.

blogcerâmica00b5e520
– As pessoas querem que sua humanidade se reflita nelas. Estão deixando o polimento e o aço inoxidável de lado e optando por algo mais aconchegante – disse o ceramista veterano David Reid, cofundador da empresa de cerâmica KleinReid, em Nova York.
Para a decoradora Kelly Wearstler, que recentemente se uniu ao ceramista Ben Medansky para criar uma linha de louças enfeitada com cubos dourados, a cerâmica confere um senso de propósito ao ambiente:
– Algo feito à mão é muito especial e naturalmente acrescenta alma e dimensão ao espaço.
Robert Sullivan, editor-colaborador da Vogue e que escreveu o artigo sobre cerâmica, disse que essa atual popularidade se deve ao fato de ela ser “uma das coisas feitas à mão mais óbvias e literais”, como “um antídoto para toda a eletrônica”.
Julie Carlson, editora-chefe do site de design Remodelista, narrou essa ascensão.
– Está ligada ao movimento locávoro, ao desejo de saber a origem do que entra na sua cozinha. É difícil acompanhar. No início, parecia que havia apenas alguns, mas agora há mais do que podemos cobrir e do que conseguimos convidar para nossos mercados – acrescentou, falando sobre os novos ceramistas.
Talvez em nenhum lugar isso seja mais notável do que no Brooklyn e no Queens, onde há muitos ateliês improvisados, cursos e lojas que mais parecem a página do Etsy. Um ano atrás, Natalie Weinberger, de 29 anos, deixou o mundo das ONGs para se tornar ceramista em tempo integral e compartilha um estúdio em Williamsburg, no Brooklyn, com outros nove artesãos iniciantes.
– A procura por cursos de cerâmica é imensa agora, é difícil conseguir um estúdio – disse Natalie, que faz vasos com impressionantes formas esculturais, muitas vezes com argila texturizada salpicada de areia vulcânica preta.
O ponto de partida para muitos ceramistas de Nova York é o Choplet, estúdio e espaço de ensino que Nadeige Choplet, nascida na França, abriu com seu marido, John Lego, em Williamsburg, em 2005:
– Quando comecei, tinha quatro tornos e dava apenas duas ou três aulas por semana, mas o espaço se transformou em um movimentado centro, com mais de 30 tornos e um estúdio separado chamado Williamsburg Ceramic Center. Apesar de todo o espaço extra e horário ampliado, temos listas de espera para as aulas noturnas.
A procura por aulas de cerâmica também se estende às faculdades, como a Rhode Island School of Design, onde o número de alunos de pós-graduação com especialização em cerâmica aumentou cerca de 50% em 2015.
– Além disso, tivemos um enorme afluxo de alunos de outros departamentos querendo aprender cerâmica, especialmente de arquitetura, desenho industrial e mobiliário. Todas as aulas têm uma longa lista de espera – disse Katy Schimert, professora adjunta e chefe do departamento de Cerâmica.
Há uma evidência cada vez maior de que a atividade está deixando de ser mero passatempo, transformando-se em carreira criativa, no mesmo estilo do chocolate artesanal.
– Já vi muita gente que abriu uma pequena conta no Etsy e logo começou a receber pedidos em atacado. Eles conseguem seu próprio espaço e abandonam o emprego –disse Nadeige.
Uma das histórias de sucesso é a de Forrest Lewinger, de 31 anos, cujo estúdio, o Workaday Handmade, produz copos com esmaltes marmorizados, tigelas terrosas com padrões geométricos esculpidas à mão e vasos cor de marfim salpicados de azul. Sua carreira começou com uma banca pequena compartilhada na Williamsburg Renegade Craft Fair, em 2012, que se transformou em uma sequência de pedidos por atacado. Não demorou para que a Barneys New York e a Anthropologie aparecessem. Agora, ele tem dois funcionários trabalhando meio período em um estúdio compartilhado no Queens.
O gigante do novo movimento é a Heath Ceramics, em Sausalito, Califórnia, que está para o mundo da cerâmica como a Stumptown está para o café ou a Brooklyn Brewery para as cervejas artesanais. Em 2003, o casal de designers Robin Petravic e Catherine Bailey comprou e reiniciou a empresa, fundada em 1948 para produzir artigos de casa e cozinha. Eles atualizaram as coleções de louça, objetos decorativos e azulejos e introduziram peças e colaborações com outros artistas, mantendo o foco na produção artesanal. Nesse processo, transformaram a Heath de empresa de nicho, que vendeu cerca de US$ 1 milhão em 2003, em algo famoso no mundo, com 200 funcionários e vendas de US$ 20 milhões por ano. Em outubro, recebeu o Prêmio Nacional de Design do Cooper-Hewitt, Smithsonian Design Museum.
Como inúmeros ceramistas emergentes, o casal diz que um dos motivos que os atraiu para a cerâmica foi a possibilidade de supervisionar o processo de design do início ao fim:
– O bom da argila é que você pode fazer tudo e não é preciso muitos recursos. Não dá para comprar uma forja para trabalhar metal, mas a argila, o torno, ou um molde, e um forno são coisas bem simples – disse Petravic.
E, como qualquer um que já fez um cinzeiro de cerâmica torto na infância pode dizer, há uma certa emoção ao ver o material maleável, moldado por suas próprias mãos, se tornar um produto sólido e funcional. A diferença é que o usuário final não será sua tia fumante, mas sim o barista, o chef que vai atrás de ingredientes frescos e o blogueiro de design que mora ao lado. (NYT – fotos Deidre Schoo, The New York Times)