Coluna Em Casa, por Eleone Prestes

Foto: Coliseu/ Divulgação
Foto: Coliseu/ Divulgação

Joias do design

Foto: Coliseu/ Divulgação

Foto: Coliseu/ Divulgação

A interação entre as formas de manifestação da criatividade é uma palavra de ordem do mundo contemporâneo. Um exemplo da tendência é a atuação do arquiteto e designer Henrique Steyer. Depois que ele soltou os bichos na forma de peças de mobiliário, a sua popularidade explodiu na mesma medida em que surgiram novas formas de expor a sua veia criativa. Agora tem Steyer de ouro. Imagino que vire um hit das mães a peça Niño convertida em pendente assinado nas versões menino e menina. A sua estante Onça foi beber nas águas do design de joias e pode ser levada no corpo como brinco, pendente e anel. Além do foco nas peças de mobiliário, a coleção tem outras cositas, como as baseadas nas fitas do Nosso Senhor do Bonfim, tema que Steyer empregou em uma fachada da Mostra Casa&Cia. Bem, o lançamento oficial será no dia 24, no catálogo da Coliseu, mas estão disponíveis nas lojas Coliseu e pelo site coliseu.com.br.

Foto: Coliseu/ Divulgação

Foto: Coliseu/ Divulgação

Foto: Coliseu/ Divulgação

Foto: Coliseu/ Divulgação

Caminho da arte
Como eu falei, o cara agita. Steyer está expondo em São Paulo como artista na Galeria Artshot, inaugurada quinta-feira, no Shopping Morumbi, nos moldes de Europa e Estados Unidos: trabalha com fotos de grandes artistas e personalidades em metacrilato, explorando diferentes formatos e releituras. As peças de Steyer são numeradas e com edição limitada. Espia em artshot.com.

Peças com história

Foto: Fabiano Panizzi/ Divulgação

Foto: Fabiano Panizzi/ Divulgação


Há novidade no front: a loja Cobogó Mobília abre as portas hoje na Rua Visconde do Rio Branco, 359, na Zona Norte. Para te situar: no número 365 tem a galeria Bolsa de Arte, que inaugurou este polo. Trata-se de um antiquário, dedicado a peças vintage assinadas por ícones do design. Parabéns aos donos, Paulo Magni e Carla Gallas. Finalmente Porto Alegre terá um espaço com esse propósito. Abaixo, um conjunto de oito cadeiras do designer Giuseppe Scapinelli. São peças dos anos 1950, feitas de madeira caviúna, com pé-palito com ponteira em bronze e assento estofado em suede branco. Ah, em soft open, tem também a loja Sette, na Rua Quintino Bocaiúva, leia-se Leonardo Lague.

E fez-se a luz

Foto: Fábio André Rheinheimer/ Divulgação

Foto: Fábio André Rheinheimer/ Divulgação


As Naves Poéticas saíram da alva champanharia da arquiteta Lídia Maciel e deram uma volta entre as peças de Hugo França pelo olhar do autor, o designer e artista Fábio André Rheinheimer. Ele criou estas luminárias em cores quentes e nesta transparência fluida que faz bonito na exposição aberta até 13 de dezembro na Villa Sergio Bertti, em Gramado, que está sendo visitada por artistas e arquitetos antenados nas novidades como as peças do designer. Ele analisa as Naves Poéticas como “resultado da interação entre arte, design e tecnologia, especialmente concebidas na versão incolor para o espaço Chandon”. Em Novo Hamburgo, Fábio André está expondo desenhos na Pinacoteca Municipal até sábado.

Por dentro
Segunda que vem (23), às 19h, tem o lançamento no Instituto Ling do livro Brasil Porta Adentro pela Editora C4. Adorei o nome. A obra é da ABD – Associação Brasileira de Designers de Interiores e tem texto da jornalista Cristina Dantas, curadoria de conteúdo do designer de interiores Roberto Negrete e coordenação de Renata Amaral. E já está disponível para pré-venda no site da ABD (abd.org.br). Com 272 páginas, tem preço especial de lançamento de R$199.

Foto: Guia Besana/ The New York Times

Dois dias antes dos atentados em Paris, o Museu Rodin havia reaberto, após reforma que recuperou os tons originais: cinza com variações de azul e verde

Foto: Carlos Edler/ Divulgação

Espaço gourmet contemporâneo privilegia uma estrutura completa para fazer pratos cozidos e assados em um ambiente que desfruta da natureza