SEBRAE apresenta o Centro de Referência do Artesanato Brasileiro, no Rio de Janeiro

Fotos Charles Damasceno, Divulgação
Fotos Charles Damasceno, Divulgação

Valorizar a tradição, a história e a cultura em um espaço de referência nacional que apresente a diversidade cultural brasileira por meio do artesanato criado de Norte a Sul do país. O Centro Sebrae de Referência do Artesanato Brasileiro (CRAB) foi apresentado neste dia 10 de março, no Rio de Janeiro, após diferentes fases de restaurações. O projeto e o espaço são investimentos do SEBRAE que promoverão espaços de exposição, fruição, conhecimento e comercialização do artesanato brasileiro. Outro objetivo, segundo o SEBRAE, é “reposicioná-lo no mercado, melhorando a percepção do potencial consumidor em relação ao artesanato e possibilitando sua ampliação no acesso ao mercado“.

Aberto ao público a partir do dia 22 de março, o CRAB já tem uma programação de estreia:  exposição Origem Vegetal: a realidade transformada. A mostra apresentará cerca de 800 peças elaboradas por artesãos vivos, em atividade, nas 27 unidades da federação. Tem como escopo os objetos feitos com matérias-primas de origem vegetal, derivados de plantas e árvores, tais como madeiras, palhas, sementes e resina. O Rio Grande do Sul é representado por peças em palha da região de Bento Gonçalves.

Veja fotos de algumas peças da exposição Origem Vegetal, com curadoria de Adélia Borges e co-curadoria e expografia de exposição de Jair de Souza.

  • CRAB12
  • CRAB11
  • CRAB9
  • CRAB10
  • CRAB8
  • CRAB7
  • CRAB6
  • CRAB5
  • CRAB4
  • CRAB3
  • CRAB2
  • Fotos Charles Damasceno, Divulgação

A lista de obras tem mais de 40 espécies vegetais, entre as quais açaí, arumã, babaçu, balata, buriti, café, carnaúba, dendê, jarina, jequitibá, mandacaru, miriti, pariri, pupunha, sisal, tucum e tururi. A exposição ocupa um total de 920 metros quadrados. Os visitantes também poderão levar um pouco do artesanato do Brasil para casa já que as peças da exposição serão vendidas na lojinha do centro.

O CRAB fica na Praça Tiradentes nos númeroa 67, 69 e 71, no centro da cidade. O histórico prédio é tombado e foi moradia do Visconde do Rio Seco, que serviu à corte de Dom Pedro II.

Fotos Raphael Briest, Divulgação

Living minimalista e integrado com cores neutras

Fotos Astra, Divulgação

Banho de cor: o branco básico ganhou concorrentes para banheiras e ofurôs