Abreu Jr: representante de Santa Catarina participa de evento internacional

abreu jr (2)

De Florianópolis para SP-Arte
Pela segunda vez o escritório de arte de Myrine Vlavianos participou da feira SP-Arte (de 9 a 12 de abril). Foi o único representante de Santa Catarina a participar deste importante evento internacional, com 140 galerias de 17 países. Para participar não basta se inscrever, é preciso ser aprovado por um Conselho Curatorial que avalia o currículo da galeria (histórico, artistas representados, exposições realizadas) e o projeto proposto para o estande. Realmente uma conquista importante para a cidade.

Arte catarinense e brasileira
por Myrine Vlavianos
“As feiras e as bienais de arte são, hoje, os eventos que mais contribuem para a valorização dos artistas. As feiras de arte internacionais concentram, em cinco dias de exposição, as obras mais representativas dos melhores artistas das principais galerias do mundo e, por conta disso, recebem a visita de curadores, críticos de arte, diretores de museus, colecionadores, galeristas, artistas, jornalistas, ou seja, dos agentes legitimadores do mundo da arte contemporânea. Portanto, apesar de ser um evento comercial, a feira de arte é mais importante como ação institucional. Nos últimos anos a arte brasileira contemporânea conquistou reconhecimento internacional muito em decorrência da participação de galerias brasileiras em feiras de todo o mundo. A arte catarinense ainda é muito isolada. Em resumo, a participação em feiras de arte é uma das formas mais eficazes para apresentar os principais valores da arte contemporânea catarinense para o Brasil e o mundo. E é nesse sentido que eu trabalho.”

abreu jr (1)

SP-Arte
O tradicional jornal alemão Die Welt publicou em sua seção de cultura um artigo bastante elogioso sobre a SP-Arte/2015 e a cena de arte de São Paulo. O jornalista Kolja Reichert esteve na cidade durante a semana da 11a edição da maior feira de arte do hemisfério sul e destaca a efervescência artística impulsionada pelo evento, que foi realizado no pavilhão da Bienal (projetado pelo arquiteto
Oscar Niemeyer).
Instalações na feira de SP

Na edição de 2015 da SP-Arte foi aberto um espaço também para as instalações. A galerista Helena Neckel, de Florianópolis, visitou a feira e captou uma imagem do trabalho do artista João Fonseca. Uma “estante de livros e saberes espalhados.”

abreu jr (3)

Mil Palavras

O Mesc (Museu da Escola Catarinense da Udesc) iniciou a mostra visual Mil Palavras: Um Museu Imaginário, que é gratuita e ficará aberta ao público até o dia 30 de abril. Segundo a coordenadora do projeto, professora Sandra Ramalho, do Centro de Artes (Ceart), os artistas partiram do conceito da obra literária Musée Imaginaire, do intelectual francês André Malraux, para produzir a mostra.

abreu jr (4)

…e mais: banco redondo
É sabido que Florianópolis precisa de mais árvores e mais espaços públicos para as pessoas, em vez de vagas de estacionamento. Os estares urbanos (parklets) existem há um ano em São Paulo e, agora, podem ganhar, literalmente, as ruas do Rio de Janeiro. Um decreto do prefeito Eduardo Paes publicado no Diário Oficial do município permite e regulariza a instalação das plataformas, batizadas de Paradas Cariocas. Qualquer pessoa poderá apresentar uma proposta de construção à subprefeitura de sua região. Na Ilha, a minipraça mais antiga (um estar urbano) é conhecida pelo nome de “banco redondo”, um ícone do design simples que pertence a memórias da cidade, construído há mais de 50 anos em volta de uma árvore. Vamos multiplicá-lo e ressignificá-lo Floripa!

banana (2)

Fotógrafa brasileira realiza homenagem durante evento em Milão

Foto: Aly ssa Schukar, NYTNS

Museus importantes pelo mundo têm investido alto para renovar espaços destinados à arte antiga